Series   
Exhibitions   
About   
Process   
Contact   

Bio   







Exhibition  R I S E , artist Daniel Mattar, NOV 2018



PT


O trabalho do fotógrafo e artista plástico Daniel Mattar inscreve-se nestas duas disciplinas e reinventa-se a partir daí numa nova  linguagem, com gramática própria e universo de características surpreendentes, por se apresentarem novas, sem aviso e sem regras inscritas à partida, no acto criativo.

Esse universo revela-se ora onírico, ora sombrio, como se a própria lente e o processo mecânico da câmara fossem não a ferramenta, mas também protagonistas das revelações e do espanto destes mundos novos que se apresentam perante nós.

O grande formato das obras patentes nesta exposição pode, à partida,não denunciar a base de trabalho do artista. Daniel Mattar sai do conforto do seu estúdio, usando como base artigos de imprensa que alertam para o aumento da temperatura global e a forma como os ciclos naturais do nosso planeta são afectados por estas alterações.

Toda a acção é desenvolvida numa superfície de 4cm , em solidão. Aqui, a tinta e papel são os protagonistas, manipulados, torcidos, conduzidos. Por fim, em total cumplicidade, criam vibrantes ondas de cor, como se fossem pinceladas violentas ou depósitos cromáticos calmos, reveladores de mensagens ou apenas apontamentos que questionam algo sem o revelar.

Esta comunicação inquieta entre os materiais e a chamada de atenção sobre uma questão global é o mote da exposição ‘Rise’.

É desta inquietude que se alimenta o olhar de Daniel Mattar. É também ela que nos guia.

“Rise” apresenta trabalhos, que pelo próprio processo criativo e pela temática envolvida assentam solidamente na contemporaneidade.

Olha o presente, arrisca uma previsão de futuro, sabendo da impossibilidade de o conseguir.

Rui Guerreiro

Curador



EN


The work of the photographer and plastic artist Daniel Mattar is recorded in both these subjects and from there reinvents itself in a new language, with singular grammar and universe of astonishing features,
since they appear new, unadvised and without rules to start off, in the creative act.

Sometimes dreamlike, others gloomy, that universe reveals itself as if the lens and the camera’s mechanical process were not the tool, but also actors of these new world’s revelations and astonishment that are
presented before us.

The great size of the patent works in this exhibition may not denounce the artist’s work’s base, to begin with. Daniel Mattar gets out of the comfort of his studio, using press articles that aware us for the raise of
global temperatures and for the way our planet’s natural cycles are affected by these changes.

The whole action is developed in a 1,5 square inch surface, in solitude.

Here, the ink and paper are the main characters, manipulated, twisted,driven. At last, in full complicity, they create colour waves, as if they were violent brushstrokes or calm chromatic deposits, revealing
messages or mere notes that question something without revealing it.

This restless communication between materials and the call for awareness about the global matter is the motto for the exposition: ‘Rise’.

It is this restlessness that feeds the eye of Daniel Mattar. It is also that same restlessness that guides us.

‘Rise’ presents works that, by its own creative process and by the present thematic, solidly fit in the contemporaneity. It looks into the present, takes a chance on predicting the future, knowing about the
impossibility of achieving it.

Rui Guerreiro

Curator